Um fimdi em BH

Alguns amigos queridos estarão passando por BH em breve para um casório no interior e, com tanta vontade que fico que elas tenham uma experiência maravilhosa na minha cidade natal, resolvi compilar aqui umas dicas e links que acho legais para que a viagem seja um sucesso. 🙂

Pedacinho da Praça da Liberdade - foto do Estado de Minas

Pedacinho da Praça da Liberdade – foto do Estado de Minas

Chegando em BH de avião
Passagem comprada, vai googlar o aeroporto de Confins e se descobre que ele faz bem jus ao nome, distante um bocado da área central da cidade. Antes de resolver alugar carro ou pegar um taxi, minha recomendação é ir para BH no busu do Conexão Aeroporto (veja os preços e faça as contas de acordo com suas necessidades…). Uso sempre, tem um guichê já perto da saída do ônibus, aceita cartão de crédito e o ponto final é bem no centro da cidade. De lá, pode-se pegar um taxi para qualquer lugar.
Onde se hospedar
Minha opinião é que a melhor região pra ficar e turistar é a região de Lourdes. Quanto mais próximo da Praça da Liberdade, melhor a localização. Por isso acho perfeita a localização do Ibis Liberdade, na Av. João Pinheiro, pertinho de tudo. Dali se está a um passo dos Centros Culturais na Praça da Liberdade, da Feira Hippie, Mercado Central, bares, teatros, restaurantes. Dá pra fazer muita coisa (quase tudo) a pé. Há uma concentração maior de hotéis pros lados da Savassi e da Av. Alvares Cabral, também. Descendo em direção à Rodoviária, já ficará mais próximo do centrão da cidade.
Restaurantes Mineiros
Por incrível que pareça, praticamente não conheço os famosos. Comida mineira pra mim é comida de casa, pra encontrar a família – um bom tropeiro, um torresminho e linguiça caseiros, um tutu de feijão…. de sobremesa, queijo de Minas com doce de leite, goiabada feita em casa. Mas deixo aqui alguns restaurantes famosos da cozinha mineira caso queiram um almoço típico:
http://www.restaurantexapuri.com.br – este eu conheço. Tem uma carne seca na moranga divina e uma mesa de doces mineiros de enlouquecer.
Se não tem mar…
Olhe praquele botequinho copo sujo em qualquer esquina em BH. Pode ter certeza que a cerveja estará gelada e que lá tem algum petisco da casa que, por mais comum que seja, será preparado com primor. Frequentar bar, em BH, é programa de família – dê uma volta na cidade no sábado à tarde e você verá pessoas de todas as idades, estirpes, gêneros e inclinações políticas pelos bares da cidade. Há alguns lugares clássicos e cada mineiro tem o seu boteco do coração. Eu morei em Santa Teresa, então meus dois bares são de lá: o Bolão, na Praça do bairro, e o bar do Chumba. Lembro com saudades do filé rochedão e do macarrão a bolonhesa do primeiro e dos pasteis de carne do segundo, nham! O melhor é consultar o Comida di Buteco pra ver quais os bares próximos de onde você está. Para dificultar as escolhas, alguns links abaixo.
Foto Luciano Baêta em Skyscrapercity

Skyline de BH – foto: Luciano Baêta

Noite em BH
Ah, a cidade tem uma noite incrível. Tem excelentes boites, ótimos restaurantes, mas sobre esses eu não posso dar dicas, não conheço. Quando vou a BH ou me encontro com os amigos em suas casas ou vou para algum barzinho. Então como sugestão para a noite, sendo que as minhas começam e terminam cedo, eu deixo o Albano´s, que tem um chopp excelente, serviço de primeira qualidade e tira-gostos saborosos. O Albano´s da rua Rio de Janeiro é uma graça. Vai lá ver em http://www.albanos.com.br/.
Comidinhas
Dois lugares para comprar coisinhas de comer em BH a serem visitados, caso tenham tempo.
O primeiro também é atração turística, que é o Mercado Central, um excelente lugar para almoçar também. Lá você encontra todas as iguarias mineiras para levar ou, como no meu caso, para repor o estoque quando a crise de abstinência de queijo ou doce de leite ataca. Gosto de almoçar no Casa Cheia e ver o movimento do mercado.
Conheça o Mercado aqui http://www.mercadocentral.com.br/
O segundo lugar é o supermercado Verdemar, onde há o melhor pão de queijo congelado da cidade. Lá também eu faço meus estoques e trago pra casa. Compro lá mesmo a sacola térmica que eles vendem, encho de saquinhos de pão de queijo e biscoitos 3 queijos (tipo um pão de queijo turbinado com mais queijos) e volto pra casa bem feliz.
Compras
O Mercado, já citado acima, e a famosa Feira Hippie. Quando dizem que ela é grande, que tem tudo, acho que não dá pra visualizar ou preparar uma pessoa para o que vai encontrar. Por isso que quando vou falar da Feira eu googlo logo uma foto aérea e mostro. Ela é ENORME. Para visitar a Feira, eu recomendo:
1- Chegar cedo (entre 7h-8h), porque ela enche rápido e as coisas boas também acabam rápido. E indo cedo você pode ir almoçar no Mercado Central, que nos domingos fecha às 13h. Pra mim é uma casadinha perfeita.
2- Se gostar de algo, compre logo na barraquinha. Sim, há chances de vc encontrar algo parecido mais pra frente, mas se caiu de amores, compre. Voltar em uma barraca na Feira Hippie é pesadelo.
3- Leve todas as formas de pagamento, principalmente dinheiro e cheque. Muitas lojas já aceitam cartão de crédito/débito, mas não são todas. E com dindin na mão a negociação fica mais interessante.
4- Se possível, não leve crianças ou adultos que não curtam compras. O programa é exaustivo, vão acabar se estressando e o programa não vai acabar não sendo bom pra ninguém. Combine de encontrar com essas pessoas no Mercado Central. Todo o mundo sai ganhando! 😀
Não há um site oficial da Feira Hippie, mas achei os links abaixo, todos com informações bem interessantes sobre a Feira.
Feira Hippie

O Parque Municipal e a Feira Hippie

Passeios em BH

Graças à todos os santos e orixás já se foi o tempo que BH era simplesmente um pouso pra os que iam visitar as cidades históricas. Além dos programas citados, que já animam bem um fim de semana, ainda temos:
O Conjunto Arquitetônico da Pampulha
A Igreja de São Francisco é realmente linda em todos os seus detalhes. Se estiver com pouco tempo, pelo menos pare pra ver a igreja no caminho pro Aeroporto…
O Circuito Cultural na Praça da Liberdade
Que coisa linda fizeram com a Praça da Liberdade! Ali eu passaria uma semana inteira só entrando e saindo dos museus. São modernos, interativos, alguns têm cafeterias bem interessantes.
Não conheço todos ainda, mas sempre em BH aproveito umas horinhas para visitar mais um. Recomendo o Memorial Minas Vale, o Museu das Minas e do Metal, a Casa Fiat de Cultura. Mas há ainda o Palácio da Liberdade, o CCBB de BH, que ainda preciso conhecer…
Museu de Artes e Ofícios 
Ah, essa é uma falta grave no meu currículo. Ainda não conheço o MAO. Mas sei que ele é lindo. Localizado na Praça da antiga Estação Central Ferroviária (para os íntimos: Praça da Estação) que foi totalmente restaurada, ele apresenta aos visitantes a história do trabalho e dos diversos ofícios presentes na vida do brasileiro nos últimos 3 séculos.
Cerveja Artesanal
BH hoje fervilha com muitas microcervejarias que produzem bebida de excelente qualidade. Há inclusive roteiros cervejeiros na cidade, já.
Elas ficam na saída da cidade, mas se você for um grande apreciador da bebida, recomendo visitá-las.
Tem a Kud, com cervejas com nomes de clássicos do rock e tonéis de aço batizados com nomes das grandes bandas – http://www.cervejariakud.com.br/. Se for lá, tome uma Tangerine ou uma Ruby Tuesday por mim. Lá tem um restaurante e abrem para eventos.
A Backer eu não conheço, mas meus amigos falam muito bem –  http://www.cervejariabacker.com.br/
Inhotim
Você já sabe das cidades históricas. E hoje a grande novidade da cidade é ir visitar Inhotim. Um guia completo está no site Viaje na Viagem, do guru e querido Ricardo Freire.
Que tal combinar a volta de Inhotim com uma paradinha no Restaurante Topo do Mundo para o por do sol?

Serra da Moeda – Foto: Jornal Hoje em Dia

A intenção é deixar estes meus amigos apaixonados por esse pedacinho querido de Minas e com vontade de voltar. Consegui? Depois me contem.

Alguns blogs sobre BH e Minas
http://www.viaggiando.com.br/search/label/CCPL (veja no Blog Viaggiando também o ótimo link sobre Viajar sem despachar bagagem. Um dia eu chego lá!)
Anúncios