Barcelona – pra não esquecer da próxima vez…

Eu e a Carol chegamos e saímos de Barcelona de avião, com tickets de empresas low-cost. A maioria delas não opera no aeroporto oficial. Nossos voos da Ryanair chegavam e saiam de Girona, cidade a mais de 1h de distância. Quando chegamos, pegamos um ônibus executivo da Barcelona Bus para chegar em um terminal dentro da cidade, de onde pegamos o metrô para chegar ao Hostel. Pois bem, na volta já nos achávamos bem espertinhas e resolvemos que não precisávamos pagar a fortuna de 14 euros de Bardcelona Bus (pra quem pagou 30 euros na passagem de avião…) pra ir até Girona de novo.

Ticket Aeroporto de Girona - Centro de Barcelona - 14 EUROS

Descobrimos que poderíamos pegar o metrô até a última estação de uma das linhas (sorry, não me lembro mais qual, nem consultando o mapa!) e que, de lá, tinha um outro ônibus de 2 euros que nos levaria até o aeroporto. Bem condizente com o perfil low cost da nossa viagem! Não vimos problema e lá fomos nós, afinal o sistema de transporte urbano na Europa tooooda é tão evoluído, não é o que sempre falamos?

Pois bem… até o fim da linha de metrô, foi tudo ótimo. O problema começou quando percebemos que o ponto de ônibus era realmente um pontinho numa estação toda aberta, com cobertura para a chuva, mas nada que nos protegesse do frio de dezembro. Ok, o ônibus vai passar rapidinho… que nada! Demoramos mais de 40 minutos no ponto, esperando o raio do ônibus! E nesse período, chegaram muuuitas outras pessoas com a mesma idéia insana que a nossa (alguns com pouca bagagem, e outros com malas enormes…).

Se tivéssemos mais tempo, provavelmente deixaríamos o primeiro ônibus passar, lotado, para esperar o próximo. Mas o tempo ia passando, passando, a hora do nosso checkin avançando e naaaada de ônibus… quando o mesmo chegou foi uma correria – todos queriam entrar e pegar um banquinho, ainda tinha essa! Pagamos, entramos e ainda tivemos que ficar um bom tempo no ônibus, que parava em tudo quanto era ponto (igual aos busus daqui, às 18h, caindo gente pela porta).

Ticket com 10 viagem de metrô: 7,20 EUROS

Chegamos no Aeroporto em cima da hora para despachar nossas mochilas. Deu tudo certo no final, o vôo atrasou um pouco e descansamos no embarque, mas corremos um risco danado! Não recomendamos a ninguém! Depois dessa saga, achamos os 14 euros do Barcelona Bus uma excelente opção! UFA!

Anúncios

Faltou tempo em Barcelona…

Foram quatro dias e meio em Barcelona, muito pouco pra curtir beeem a cidade. Acho que, numa primeira visita, ninguém deve ficar menos de 1 semana por lá! Mas agora eu só sei disso por experiência própria, rsrs…

Faltou tempo para curtir as baladas de Barcelona, que não priorizamos por querer conhecer mais a parte histórica e arquitetônica.

Faltou tempo para entrarmos em cada ruazinha que dá nas Ramblas… em cada rua que entrávamos, era uma tarde de passeio! Além das Ramblas mesmo, que cada dia tinha uma exposição diferente – vimos até feirinha de bichinhos domésticos!

 

Precisamos voltar para nos perder mais vezes no Barrio Gótico…

 

Eu preciso voltar para conhecer direito Montjuic e várias atrações que não entramos, porque era domingoooo e tudo fechava cedo!!!! AAAAGH!  :_(

E, quando voltar, tem que ser numa estação de temperatura mais amena, para poder aproveitar a orla da cidade! No frio ela também fica linda, mas só dá pra imaginarmos, um pouquinho, como deve ser no verão!

Barcelona merece vários brindes! Entra no rol daquelas cidades que você visita várias vezes e sempre tem o que ver/visitar/conhecer, além de sempre querer voltar às atrações tão admiradas!

Nossa Senhora do Mar

Quando você diz que vai a Barcelona, todos te falam maravilhas sobre o Templo da Sagrada Família. Mas eu não tinha nem notícia que havia uma Catedral com o lindo nome de Catedral de Santa Maria del Mar em Barcelona.

Achei o nome da Catedral um charme. Me fez lembrar de como o Mar é importante para Barcelona e foi uma associação que acabei fazendo a Salvador – lá temos a Procissão do Bom Jesus dos Navegantes, temos Iemanjá, a Rainha do Mar… acho que começou a pintar saudade de casa, rsrs. Pelo menos saudade do verão baiano, já que era Dezembro e tava o maior friozão… 

Sim, friozão, mas o céu continuava azuuuul…. o que foi uma benção divina durante nossa viagem – imagina, se além de frio estivesse chovendo! Mas São Pedro nos poupou creio que em mais de 80% de nossa viagem deste tipo de desconforto.

A catedral é toda em estilo gótico e muito linda.

Vimos muitas igrejas no estilo gótico em nossa viagem. Aqui, ainda estávamos no início então tudo era novidade. Os vitrais nos impressionaram muito.

E pudemos visitar o pátio interno da igreja, que achei bem lindinho. Não sei se fica aberto sempre, mas quando estivemos lá pudemos passear pelo pátio e (tentar) ver um presépio montado no local. Tem até um laguinho lá dentro, com patinhos e tudo. Mas estava ficando escuro, tínhamos que ir embora.

Para saber mais da Catedral del Mar (para os íntimos), veja esse link:

http://en.wikipedia.org/wiki/Santa_Maria_del_Mar_(Barcelona)

Entre tapas e cañas em Barcelona

 Já tinha ouvido falar, mas não dá pra acreditar no tanto que a Espanha é um país bom pra engorda. Come-se bem e fartamente nos lugares que têm a ver com os hábitos mais comuns dos espanhóis – incluindo aqui os catalães, mesmo que eles não queiram, 😉 .

Eu adorei conhecer as tais tapas que tanto ouvi falar. Tapas são os tira-gostos deles. Como boa mineira, adoro essas comidinhas de bar, petiscos em geral. Eu a Carol nos esbaldamos no Tapas Tapas, recomendado pela Dri Setti. São sei-lá-quantas tapas diferentes para vc escolher, da mais comum (pãozinho com molho de tomate) a caracoles (primo espanhol do escargot, sem molhinho de mostarda e ervas). 

TapaTapa

Sentamos no balcão para poder aproveitar melhor… a vitrine do bar. Na vitrine ficam todas as modalidades de tapas, e nós duas de frente para elas. Você também pode escolher as tapas pelo joguinho americano de papel, onde pode ver as fotos das ditas e seus preços. Tudo tava muito gostoso, apesar de eu ter achado as porções pequenas e caras. Iria lá de novo, mas acho que foi o barzinho mais caro da viagem. Jantamos tira-gosto e pagamos quase 30 EUR cada.

Tapas1

Vejam o meu copinho de caña (cerveja) e o da Carol… hahaha, sabiam que no dela tem mais teor alcoólico que no meu?… Quem diria, né? Tsc, tsc, coisas da vida!

Tapas2

Na Espanha como um todo há muitos frutos do mar pra vc se deliciar. Passeando pela orla, nos deparamos com esse lagostão. Será uma homenagem a tantos que se sacrificam para saciar o apetite de locais e turistas?  Vejam a carinha dele de feliz por atender aos nossos desejos gastronômicos… 

Lagostao!

Adri, KK e Gaudí (parte 2)

Se você acha que conhece alguém que tem fama de megalomaníaco, é porque você não viu o que Gaudí planejou para o Templo Expiatório da Sagrada Família. O templo, que ainda não está pronto, está em obras a uns 100 anos e só deve estar pronto lá por 2050!!!

O projeto é mesmo belíssimo, e a parte do Templo que já está pronta também é super interessante. Mas, mesmo lendo muito a respeito antes de chegar até lá, eu imaginava que a Sagrada Familia fosse algo em estágio mais adiantado de construção. O lugar é um verdadeiro canteiro de obras…

 

SagradaFamilia1

Tem tantas gruas na obra que você chega a se lembrar dos slides sobre Dubai que rodam a web…

 

SagradaFamilia2

Entramos no Templo e ficamos meio decepcionadas, demorando um pouquinho pra entender o que havia ali dentro, de fato. Resolvemos não subir para a parte de cima do Templo, pois as filas eram enormes. Pegamos em nossa mochila tuuudo o que tínhamos de informação sobre a Sagrada Familia e demos uma folheada, pra podermos nos situar…  

 

 Acho que (podem jogar pedras se quiserem, vou entender) a Sagrada Familia foi a maior decepção da nossa viagem toda. Não que ela não seja linda, ela é, e muito. Mas é um dos casos em que exageramos nas expectativas, sabe… Mais um ‘efeito capela sistina’ para nosso curriculo.

O legal da Sagrada Familia está no museu sobre o Templo, situado… por todo o lugar, ehehe. Na verdade, acho que descemos escadas, atravessamos áreas em construção e não me lembro bem onde fica a parte dedicada à história do Templo, de Gaudí e de suas inspirações. Mas é lá que você vai ver uma mega maquete da Sag. Familia, vai ver os esboços iniciais do Templo e entender a sua história. Gaudí morreu atropelado por um bonde em frente à obra da Sag. Familia, enquanto a admirava – e, provavelmente, pensava em inventar mais uns abacaxis e colméias pra colocar em algum lugar do Templo… A cripta dele se encontra no interior do Templo, inclusive.

Para saber mais sobre a Sagrada Familia na wikipedia, clica aqui.

O site oficial do Templo é www.sagradafamilia.cat.

E um site cheeeeeio de fotos lindas, fatos e percepções interessantes você vê em Fatos e Fotos de Arnaldo Interata

Adri, KK e Gaudí em Barcelona (parte 1)

Tudo o que falam de Barcelona e arquitetura é verdade.

Não há como a gente chegar e sair da cidade sem enriquecer nossos conhecimentos sobre arquitetura, mesmo sem querer! Quando você menos espera, pronto, já foi, aprendeu uma coisa nova. Assim como em Roma tropeçávamos em obras lindas do Bernini, em Barcelona a cada esquina uma obra de Gaudí aparecia em nosso caminho. E são lindas! E foram feitas a mais ou menos um século, o que me deixou bastante admirada, pois até para os padrões de hoje são bem ousadas. Bom, não é a toa que as obras de Gaudí fazem parte do Patrimônio Mundial da Unesco!

Bartlo

A primeira visão foi a da Casa Bartlló, aí em cima. Visão mesmo, pois não entramos nesta prédio, que ele reformou no início do século XX.  Como ele era bem perto de nosso hostel, decidimos dar mais uma rodada antes de entrar na casa… o fato de o ingresso custar 16 euros sem direito a meia entrada também pesou nessa decisão. OK, ok, essa não era nossa praxe na viagem (afinal, mais caro foi chegar em Barcelona, agora vai “amarrar mixaria”?).  Mas era cedo, a La Pedrera era ali pertinho, ainda tinha a Sagrada Familia pra conhecer. Então, quando chegamos na La Pedrera, decidimos conhecê-la. Seis euros o ingresso de estudante.

Ticket La Pedrera

A Casa Milá, ou La Pedrera, foi desenhada e construída por Gaudí. Vista de fora, parece uma casa de brinquedo, feita de areia, ou barro, ou qualquer material que permita tantas curvas… Você entra e recebe o audioguide para ouvir tuuudo sobre o edifício e Gaudí. Não sou muito favorável a audioguides, eu e Carol só usávamos quando estava incluso no preço, o que foi o caso. Geralmente eles acabam duplicando o valor do ingresso… 🙂 Bom, olha eu aí viajando no audioguide…

 

LaPedreraAdri1

A visita começa pelo último andar, onde há uma exposição sobre as obras do arquiteto , maquetes de outros prédios, inspirações de Gaudí na natureza e detalhes da construção e dos móveis que depois veríamos in loco. Olha que lindas as saídas de ar e chaminés do prédio. Parecem umas gárgulas, não?

 

LaPedreraChamine

Agora um zoom nas beldades presentes (olha os fonezinhos dos audioguides de novo no pedaço). E a chaminé, toda coberta com mosaico.  Deu pra perceber que em Barcelona pegamos uns dias bem bonitos, né… Friiiios que só, mas sem chuva.

LaPedreraAdriKK

Depois do terraço, entramos nos apartamentos. Foi aí que percebemos o tanto que Gaudí influenciou nosso cotidiano. Ele produziu, na época, vários móveis ergonômicos. E não só móveis, como também fechaduras, portas de correr e várias outras soluções brilhantes! Aqui, eu e Carol visitando o banheiro do apartamento. Uma autofoto que a gente não ocupa 70% do espaço, eheh. Creio que a única de toda a viagem, no fim das contas.

LaPedreraAdriKK2

Aqui é a fachada da La Pedrera. Lembra a Casa Bartló, não é? O estilo dele é esse. Tudo cheio de curvas e sinuosidades. Do alto da minha ignorância em arquitetura, achei tudo dele muito feminino e acolhedor! Com exceção da Sagrada Família, mas aí é uma outra história…

LaPedreraKK

Um mercado bem familiar

Quem gosta de mercados municipais? Eu adoro. No Brasil, já conheço o Mercado Central de BH (e o bar Casa Cheia, ai que saudade), o Mercado Municipal de SP e o Porto Alegre, que, inclusive, é um charme… E apesar de já ter viajado pra outros países, não me recordo de ter ido a outro mercado, sendo o de Barcelona a minha estréia internacional no assunto…

O mercado La Boqueria fica bem perto das Ramblas, avenida exclusiva pra pedestres, em Barcelona, onde turistas e locais (mais turistas que locais) adoram passear. O La Boqueria é um dos poucos estabelecimentos na região das Ramblas que é frequentado por moradores. Lá tem de tudo: frutas, doces a granel, pescados, e, que bom, botequinhos pra tomar uma cerveja e comer algo bem gostoso.

Eu e Carol aproveitamos para comprar frutinhas diversas. Até encontramos aquelas ameixas amarelas que tinha no sítio de nossa avó… faz um tempão que os miquinhos não deixam nada pra gente, há séculos eu não comia a danada da ameixa. Mas foi só pra matar a vontade mesmo, tava meio sem gosto… 😦 

Olhando as fotos, não parece que podia ser qualquer mercado no Brasil mesmo? Pena que no Brasil não encontramos cerejas tão bonitas e com preços também bem apetitosos… 

Em maio do ano passado, estive no Mercado Municipal de SP e vi 1/4 de kg de cereja ser vendido a R$25,00!!!! Que conta mais maluca! Mas também, falar que o quilo é R$100,00 já assusta logo de cara, né?