Salvador na Copa do Mundo – Aproveitando a cidade em dia de jogo

Salvador foi abençoada com excelentes jogos na primeira fase da Copa do Mundo. Além disso, ainda recebe uma partida das oitavas e outra das quartas de final. Bairrismo a parte, acho que a melhor combinação turismo + futebol ficou por aqui. Rio, Manaus, Recife e as outras cidades são todas ótimas para passear, mas em nenhuma delas a principal atração turistica está a 10 minutos de caminhada do Estádio, como o Pelourinho está da Fonte Nova!

Cruz do Sao Francisco

Largo da Cruz de São Francisco, Pelourinho – dia de ALE x POR

A FIFA está disponibilizando várias formas para os torcedores chegarem aos estádios - onibus especial nos shoppings, metrô para pessoas cadastradas, bicicletários para quem quiser ir de bike. Nesta Copa já presenciamos dois jogaços – Espanha x Holanda e Alemanha x Portugal. Em ambos os jogos, fomos pelo Pelourinho. Para quem tem carro, chegando umas 2h antes do jogo achamos vaga nos estacionamentos no local - onde nos foi cobrado R$30 pelo acesso – preço fixo e pagamento adiantado. Quem está sem carro pode pegar um taxi para o Comércio e parar em frente ao Elevador Lacerda, esquema que fizemos no segundo jogo e correu tudo bem. Dali, subimos o elevador para a Praça Municipal. O Pelourinho está logo à esquerda, com a Praça da Sé e o Terreiro de Jesus. Em todo esse percurso há policiamento e, a partir do Terreiro de Jesus, também vi placas indicativas do caminho pro Estádio – e se os gringos conseguem, a gente dá conta também. ;-)

Pelourinho 1

Rua das Laranjeiras, Pelourinho – Dia de ALE x POR

No Portal da Copa você encontra um link para a Fan Walk, uma sugestão de roteiro a pé do Porto de Salvador ao Estádio – na Cidade Baixa não vi monitores ou orientações, mas a partir do momento que se chega na cidade alta, está tudo sinalizado. A Fan Walk é uma boa iniciativa para promover a turistagem em Salvador, mas achei bem tímida. TIve que fazer várias tentativas de googlar o roteiro – sem saber o nome, fica bem difícil. Espero que melhore até o fim da Copa!

Mas independente de nome, esse roteiro funciona bem e, pra quem não é da cidade, o melhor é se arrumar cedo e seguir o Fan Walk, sim! Minhas sugestões: Vamos pegar um taxi ou ônibus até o Comércio e descer em frente ao Mercado Modelo. É hora de aproveitar para ver o artesanato – mas pensar bem no que vai comprar ou deixar pra comprar na volta, pois pode ser que a gente escolha algo que é proibido no estádio, né? O Mercado fecha 19h todos os dias, exceto domingo, quando fecha às 14h. Dali, pegamos o Elevador Lacerda – a catraca está liberada nos dias de jogos, e com isso você economiza R$0,15 (sim, quinze centavos) para a subida. Chegando na cidade alta, estamos na Praça Municipal. À direita, o Palácio Rio Branco, antiga sede do Governo. Na frente, a Casa da Câmara dos Vereadores. À esquerda, um prédio mais moderno, a Prefeitura. Desta saída do Lacerda temos uma das mais belas e fotografadas vistas da cidade.

IMG_2777

Vista da Cidade Alta, ao sair do Elevador Lacerda – dia de ALE x POR

Seguindo para a esquerda, passando pela Prefeitura, vamos chegar à Praça da Sé. No jogo Alemanha x Portugal, estava ali uma ação bem interessante da Embaixada Alemã em parceria com a Federação Alemã de Futebol – uma “sucursal” do consulado alemão com dicas diversas da cidade, segurança, um engenhoso tradutor alemão-português de bolso e o que mais o turista precisar. Achei bem interessante. Fiquei pensando se outros torcedores têm assessoria semelhante.

IMG_2692

O stand do Nationalmannschaft fan club – apoio itinerante aos torcedores alemães – ALE x POR

Andando mais um pouquinho, chegamos no Terreiro de Jesus, onde a Holanda fez o Orange Square antes do jogo Holanda x Espanha. O Terreiro está todo enfeitado não só para a Copa mas também para o São João, pois no Pelourinho acontece o São João oficial da cidade, na noite de 23 para 24 de Junho e nos finais de semana próximos. O Terreiro tá lindo e virou palco de encontro de torcidas e expressões artisticas locais. Ali está o Cravinho, ótima opção para tomar umas e comer uns petiscos depois do jogo. Recomendo demais os camarões encapotados com tapioca. Hummmm….

IMG_2694

Terreiro de Jesus todo enfeitado durante o mês de Junho

Dali há vários caminhos a fazer. Se tivermos tempo, dá pra descer até o Largo do Pelourinho, onde geralmente está o Olodum para a festa pré e pós jogo e há um telão para ver os jogos da Copa. Do lado da Igreja do Rosário dos Pretos (a igreja azul na ladeira) está o Restaurante Escola do SENAC. Ali há um buffet de comida baiana, com sobremesa inclusa, de excelente qualidade. O maior ganho deste buffet, pra mim, é a chance de em uma oportunidade só experimentar várias comidinhas baianas. O atendimento é excelente e a comida é muito boa.

Hora de ir pro Estádio… Pelo google, vamos descer a Ladeira 12 de Outubro e subir a Ladeira do Prata, logo em frente. Estando já na região, devemos procurar a ladeira onde está o restaurante da Alaíde do Feijão, ou procurar onde é a ladeira do estacionamento do Pelô. A ladeira que vamos subir está bem em frente. Ao fim da subida, vira-se à direita, primeira à esquerda e voilá! Eis a Fonte Nova. Mas mesmo sem essas orientações, não dá pra se perder. É só seguir o fluxo. ;-) E há policiamento em todo o trajeto.

IMG_2584

Lá vai o holandês subindo a ladeira – caminho para a Fonte Nova – HOL x ESP

Os jogos têm sido incríveis. A Arena foi inaugurada há mais de um ano e o equipamento todo está muito bem testado para a Copa. Filas existem sempre nas lanchonetes, mas não fogem da regra de grandes eventos, seja no Brasil ou no Exterior. As torcidas têm dado um show de irreverência e boa vizinhança. Torcedores do Bahia, Vitória, Ipiranga (!), Galícia (!!!), Espanha, Holanda, Alemanha, Portugal – todos estão curtindo o espetáculo. Olas, gritos de torcida, vaias, canções, tudo está no pacote. Emociona, nos envolve, quando você se dá conta está com sentimentos confusos – triste pela Espanha, feliz pela Holanda, temerária pelo Brasil, com medo da Alemanha, sentindo a ausência de Portugal, ansioso pela Suiça. E vumbora comemorar os gols, seja lá de que seleção for.

IMG_2726

ALE x POR na Arena Fonte Nova

 

Acabando o jogo, vamos fazer o mesmo caminho de volta? Saimos da Arena, descemos ladeira, subimos ladeira e em 10min estamos no Pelourinho. Bares e Restaurantes estão com TVs ligadas para transmitir demais jogos e resenhas – pode sentar e pedir uma caipiroska e uma carne do sol com aipim, pra ficar no clima do Nordeste no São João (é época, lembra?). Em toda a área há música, festa, batuques e torcedores comemorando ou chorando as mágoas. Dali, para pegar um taxi, melhor voltar ao Terreiro de Jesus ou à Praça Municipal (a do Elevador Lacerda) onde há pontos de taxi. Também se pode descer o Elevador e pegar um lá embaixo, onde também há um ponto.

IMG_2775

Torcedores de ALE x POR de volta ao Pelourinho

Um fim de noite perfeito pra mim pode ser no próprio Cravinho do Terreiro de Jesus, ou nos restaurantes da Marina da Contorno… ou um acarajé no Rio Vermelho.

Desculpaê, gente. Se existir esquema de turistagem + jogo mais perfeita que esse, vou adorar saber, e se possivel, experimentar. Por hora, vou testar essa fórmula exaustivamente em Suiça x França, Bosnia x Irã, oitavas e quartas de final. É o que tenho para essa Copa!

IMG_2660

Tapete laranja descendo a ladeira após o jogo para comemorar no Pelô – HOL 5 x 1 ESP

Links interessantes:

Informações sobre a Copa na cidadehttp://www.secopa.ba.gov.br

Mudaríamos alguma coisa que fizemos nesse dia? – O relato acima é o compilado da nossa experiência em todos os jogos da copa das confederações na Arena Fonte Nova e 2 jogos da Copa do Mundo, até agora. Então oque está aqui relatado é o nosso roteiro perfeito. Não mudaria nada. :D

Meu dia perfeito de turistagem + jogo: idem, é o relatado acima. Quanto mais cedo acordar, mais dá pra aproveitar o roteiro. O importante é se encaminhar pro Estádio com 2h-1h30 de antecedência.

Onde ver os jogos, sem ser no estádio? Há a FanFest, no Farol da Barra, mas não fui ainda pra conferir. A informação que obtive no local é que só funciona em dias de jogo na cidade ou dias de jogo do Brasil. Bares em geral no Jardim Brasil (Barra), Orla da cidade, bares do Pelourinho, estão todos transmitindo o jogo.

Taxi para o Aeroporto - Da Barra, que fica na ponta da península, dá em média R$85. Há ônibus dos principais hotéis da cidade para o Aeroporto, a linha é a S10. O toll free é 9090 71 9979-1000, para mais informações.

Fan Walk de Salvador - http://promoview.com.br/nordeste/397966-fan-walk-mostrara-historia-da-bahia-a-turistas

Turismo na Bahiahttp://www.bahia.com.br

Blogs da cidade:

Salvador em 1 dia – http://salvadoremumdia.blogspot.com.br

365 motivos para amar Salvador – http://365salvador.wordpress.com

Guia de Sobrevivência do Soteropobretano – http://soteropobretano.blogspot.com.br

Área de Jogos da Adri – http://adrianelima.wordpress.com

Pra saber o que tá rolando na cultura e sociedade, a Revista Muito, do Jornal A Tarde – http://atarde.uol.com.br/muito

IMG_2717

As baianas de acarajé estão presentes na Arena Fonte Nova

 

 

Brasil x México na Arena Castelão – Nossa experiência na Copa das Confederações

Em 2013, durante a Copa das Confederações, aproveitamos para fazer um tour por 3 cidades-sede do torneio, além de visitar a Arena Fonte Nova em todos os jogos sediados em Salvador. Já narramos nossa experiência na Arena Pernambuco. De lá, seguimos para Fortaleza para assistir ao nosso primeiro jogo do Brasil na competição – Brasil x México, no Castelão.  

Arena Castelao 1.jpg

Marcando território. :)

O dia do jogo geralmente exige uma programação de dia inteiro, principalmente se você está turistando na cidade. Estávamos em Fortaleza já há 2 dias e resolvemos testar a experiência de sair para um voo logo após o jogo, na mesma noite. Sendo assim, nossos planos eram: acordar um pouco mais tarde, fazer checkout, pegar um taxi para o aeroporto, deixar as malas num guarda-volumes (que localizamos e pesquisamos no dia em que chegamos na cidade), almoçar no aeroporto e pegar o onibus da FIFA para o Castelão. Na volta, sairíamos assim que o jogo acabasse, pegaríamos o onibus de novo para o aeroporto e voaríamos de volta pra casa. Bonito no plano, não é? Posso adiantar que tudo deu certo no final, mas a ansiedade reinou durante todo o dia!

Fizemos o checkout no hotel às 11h, com previsão de chegar no aeroporto em meia-hora, de taxi, gastando aproximadamente R$35,00. Havia uma manifestação com concentração prevista para as 10h e descobrimos que os cearenses são bastante pontuais. Quando passamos pela região, no caminho para o Aeroporto, a via principal já estava bloqueada, fazendo com que precisássemos pegar um caminho alternativo. Demos uma volta enorme, demoramos meia hora mais que o previsto e a corrida ficou em R$80,00.

20140604-001839-1119168.jpg

Chegando ao Aeroporto, fomos até o guarda-volumes, que fica na área externa no andar do embarque. De longe avistamos vários armários ainda abertos e respiramos aliviados. Entretanto, quando chegamos no guichê de atendimento, a atendente nos informa que estavam todos quebrados e havia somente mais UM disponível. Graças ao hábito adquirido de viajar leve, nossa bagagem de 1 semana para Recife e Fortaleza cabia em 2 malas de mão e uma mochila. Tudo coube no guarda-volumes, mas por pouco ficaríamos sem opção. A alternativa seria ir até a companhia aérea tentar despachar logo as bagagens para um voo da noite. Nem sei se eles aceitam bagagem com tanta antecedência, mas ficamos novamente aliviados de não ter sido necessário utilizar esta opção.

Almoçamos em um restaurante de comida a quilo no Aeroporto e fomos para a fila do ônibus da FIFA, com ponto no Aeroporto. A fila estava grande, já, mas tudo estava bem organizado. Faltando 3 horas para o jogo pegamos o busu e fomos para o estádio, pois queríamos chegar cedo com receio das manifestações atrapalharem o roteiro do ônibus. Correu tudo bem, chegamos no ponto e haviam monitores para guiar o caminho. Ponto negativo foi a pouca sinalização na região – e a pouca existente era bem pequena para a multidão presente. Na hora da volta, a sinalização mais visível fez falta.

20140604-001839-1119227.jpg

Chegamos no Castelão após uma caminhada de 20 minutos. O estádio, novo, é muito lindo e majestoso. Depois que entramos, aproveitamos para conhecê-lo por dentro. Os bares estavam funcionando bem, com filas pequenas e administráveis. Demos uma volta completa no Castelão antes de sentar em nossos lugares, bem atrás de um dos pontos de escanteio. O ângulo que pegamos não era dos melhores para ver toda a partida, mas nos momentos críticos era sempre uma emoção. Banheiros do estádio estavam impecáveis, o fluxo de pessoas muito bem administrado e durante as vezes em que fomos comprar bebidas/comida não faltou nada nem pegamos filas demoradas.

Arena Castelao 2.jpg

Dá pra provar o Bolo de Rolo nas Arenas Castelão e Pernambuco!

Seleções brasileira e mexicana em campo, tocam os hinos – e acho que nesse jogo no Castelão foi a primeira vez que a torcida cantou o hino além do tempo protocolar da FIFA. Foi uma emoção sem fim. Como é que se combina uma coisa dessas, não é mesmo? De fato, somos todos juntos num só coração – e o resultado foi uma onda de euforia que tomou conta dos torcedores e jogadores ( e provavelmente tocou medo nos mexicanos, ehehe), resultando em 2 x 0 para o Brasil.

O segundo gol, já no finalzinho do segundo tempo, assistimos de pé quase na saída do estádio. Estávamos preocupados em pegar uma confusão de transporte como foi em Recife, o que com certeza acarretaria em perdermos o voo.

arena castelao 3.jpg

Invasão asteca no Castelão

 

Pois saímos do Castelão e andamos em direção ao ponto de ônibus, sem confusão ou correria. Ao chegar aos pontos, o único problema foi identificar onde estavam os ônibus de cada destino (placas muito pequenas) – mas ao acharmos o busu para o aeroporto nós entramos e conseguimos até viajar sentados. Chegamos ao Aeroporto em 15minutos, pegamos nossa bagagem e embarcamos.

Informações sobre a Copa na cidade -
 ao descermos no Aeroporto, dois dias antes do jogo, não encontramos nenhuma informação específica sobre os jogos da Copa. Havia um balcão de informações turísticas em reforma – provavelmente a intenção era terminar a reforma até o dia do jogo. Pegamos panfletos e livretos com informações genéricas sobre a cidade, apenas.

Mudaríamos alguma coisa que fizemos nesse dia?
 – Se possível, teria voltado para o hotel após o jogo. O esquema jogo+vôo funcionou, mas é muito estressante. Passamos todo o dia na rua para voar de volta pra casa de noite, chegamos moídos em Salvador. Um descanso no hotel para um voo de madrugada teria sido menos cansativo.

Meu dia perfeito de turistagem + jogo:
Passear no Centro Cultural Dragão do Mar pela manhã e almoçar na região; dali, pegar um dos busus da FIFA para o estádio; depois do jogo, pegar o busu da FIFA para a Beira-Mar, passear na feirinha e jantar num dos restaurantes da região.

Onde dá pra assistir os jogos na TV
: Em 2013 a prefeitura montou telões na praia de Iracema; na noite anterior fomos ao Restaurante Cocobambu, na Beira Mar, e estavam transmitindo jogos.

Taxi para o Aeroporto
: A rota Iracema-Aeroporto deu R$36, em condições normais de temperatura e pressão. ;-)

Links interessantes sobre Fortaleza
:

O blog ABC de Férias, da amiga Liliane Sonsol:
http://www.abcdeferias.com.br/category/abc-de-fortaleza/

O site da Arena Castelão
http://arenacastelao.com/site/

O Restaurante Cocobambu, onde comemos muito bem:
http://restaurantecocobambu.com.br/cb-beira-mar

O Restaurante Le Marché, uma graça de francês para a noite em Fortaleza, indicaçao da Lili do ABC de Férias – Texto do Guru Riq Freire:

http://www.viajenaviagem.com/2013/11/programao-de-6a-em-fortaleza-jantar-no-mercado-dos-pinhoes

A barraca que fomos na Praia do Futuro (muito bom atendimento!), recomendada pela amiga Priscylla Mesquita:
http://www.itaparika.com.br

O Centro Cultural Dragão do Mar:
http://www.dragaodomar.org.br/index.php

A Cafeteria Santa Clara, local que revisito sempre que vou a Fortaleza (café, atendimento, doces, salgados, tudo bom!)
http://www.cafesantaclara.com.br/cafeteria

O Mercado Central de Fortaleza, bom pra comprar artesanato
http://www.mercadocentraldefortaleza.com.br/

A Feirinha da Beira Mar em Fortaleza
http://feirinhabeiramar.com.br/

20140604-001839-1119026.jpg

Barraca Itapariká – sol, sombra, água fresca…

 

Arena Pernambuco – nossa experiência durante a Copa das Confederações

A Copa das Confederacoes acabou, a FIFA ja fez suas avaliacoes sobre o evento e sobre as sedes, e agora já podemos nos candidatar a comprar ingressos para os jogos da Copa do Mundo 2014. Este ano, eu e o Caetano aproveitamos as férias acompanhando alguns jogos da Copa das Confederações e turistando nas cidades-sede Recife, Fortaleza, Belo Horizonte e Salvador. Estivemos em Recife para o jogo Espanha x Uruguai, primeiro do campeonato na Arena Pernambuco. Aqui, conto como foi o nosso dia e tento imaginar como seria um dia ideal para quem pensar em aproveitar o combo passeios + jogo da Copa.

Fomos pra Recife de avião e nos hospedamos em Boa Viagem, coincidentemente no mesmo hotel da Seleção Espanhola – mas, infelizmente, isso não me garantiu encontrar o Piqué no café da manhã ou no elevador :( . O aeroporto de Recife tem, desde sempre, um Centro de Atendimento ao Turista muito bom, com informações sobre todo o estado, agendas culturais, destinos (melhor CAT de todas as cidades visitadas). O aeroporto é pequeno, então é fácil de encontrar. Oferta abundante de orientações para o torcedor e um folder com orientações de transporte para o dia do jogo. Tudo o que precisavamos de informação já tava na mão.

Tudo, absolutamente TUDO de informação que um turista precisa em Recife

Tudo, absolutamente TUDO de informação que um turista precisa em Recife

No dia do jogo passamos a manhã no Centro Antigo de Recife. Era um domingo, dia em que a prefeitura organiza 40km de ciclovia na cidade. A população aproveita bastante esta ciclovia, deu até vontade de alugar uma bicicleta! Visitamos, na região, o Centro Cultural da Caixa, circulamos pelos quarteirões e terminamos visitando o Centro de Artesanato de Pernambuco. Se dali não fôssemos pro estádio, provavelmente eu teria comprado um bocado de peças artesanais, cada uma mais linda que a outra. ;-) A oferta de atrações ali é vasta e tudo depende do tempo que se dedica a cada uma delas. Poderíamos, ainda, conhecer a Torre Malakoff e almoçar no Boteco, restaurante no fundo do Centro de Artesanato com boa comida e serviço de buffet. Mas nossos planos eram outros – fomos encontrar nossos amigos para assistir ao jogo Italia x México na TV antes do jogo.

IMG_5627

Para assistir a este jogo sem prejudicar a logística de chegar ao estádio, fomos a uma churrascaria que fica proxima a Arena, na BR408. Pegamos o metrô (gratuito para quem tivesse o ingresso da Copa) na estação Recife, a mais próxima de onde estávamos. Descemos na estação Cosme e Damião, penultima da linha. Lá, 6h antes do jogo, a estrutura já estava montada para os torcedores. Pegamos um dos ônibus da fila e descemos no ponto único proximo à Arena.

A churrascaria ficava do outro lado do estádio, o que fez com que andássemos aproximadamente 3km por volta das 13h contornando a Arena para chegar até o local, o Bode do Mundinho. Mas não comemos bode não. Fomos de carne do sol. :) O lugar estava lotado, pareceu ser bastante frequentado por quem vai ao estádio. Percebi que muita gente tinha ido de carro e estacionado no local. Pesquisando, depois, achei essa matéria bem interessante pra quem preferir ir de carro próprio.

Placa de identificação da churrascaria, o acesso ao estádio às 17h30 e nós, devidamente instalados

Placa de identificação da churrascaria, o acesso ao estádio às 17h30 e nós, devidamente instalados

Finalmente entramos no Estádio, 1h30 antes do jogo. Em seu primeiro jogo da Copa das Confederações, sem sombra de dúvida com muito a aprimorar para as partidas seguintes. Assim como havia acontecido no Mané Garrincha na partida de abertura, havia filas para comprar qualquer coisa e a bebida acabou muito rápido – meia hora depois do jogo ter começado já não havia mais cerveja disponível no estádio e muitos dos bares já não tinham nem refrigerante nem água. Compramos duas águas, que fizemos render até o fim da partida.

Fim de jogo, nos reunimos novamente com nossos amigos e fomos para o ponto de onibus, pra de lá pegar o metrô. Nós e provavelmente toda a Arena. A logistica de retorno foi terrível, e reconhecida pelas autoridades como “necessitando de melhorias”, e espero que os jogos seguintes tenham tido logística melhor. Filas e placas disciplinadoras foram desrespeitadas e cada um entrou nos ônibus como deu, e todos saíram lotados como em qualquer grande cidade bem na hora do rush. A população até que se comportou bem, imaginei que poderia ter presenciado um grande quebra-quebra. Acabou que o buzu funcionou como um funil para o acesso ao metrô. Chegando na estação, esta também cheia, mas menos tumultuada que o ponto de ônibus.

Para voltarmos sentados e não espremidos e em pé, pegamos o metrô no sentido contrário, rumo a Capibaribe. Funcionou! :) Na volta, o metrô encheu na Cosme e Damião, mas não ficou lotadaço por muito tempo. Havia vários bolsões de estacionamento nas estações seguintes, principalmente na da Rodoviária. Descemos na estação do Aeroporto, de onde pegamos um taxi pro hotel. Do fim do jogo até o hotel foram 3 horas. Devíamos ter pego uma carona com a seleção da Espanha. ;-)

Mudaríamos alguma coisa nesse nosso dia? Como estávamos de grupo, acho que valeria a pena ter alugado um carro pra poder estacionar nas opções que haviam na BR. Mas confiamos tanto na logística do transporte público e era o primeiro jogo, ficou o aprendizado.

Meu dia perfeito de turistagem + jogo: Recife Antigo de manhã com almoço no Boteco pra atender a variados gostos e apetites. Logística para a Arena de carro, estacionando em estacionamento particular ou fechando um esquema de van com o hotel. Após-jogo: bares da Boa Viagem, as ruas do Recife Antigo ou uma esticada à noite de Olinda.

Onde dá pra assistir outros jogos, pela TV: Há muitos bares na Boa Viagem que transmitiram os jogos, com telões e TVs de led. Nós assistimos o Brasil x Japão no Ilha dos Navegantes. Comida boa e chopp gelado. Site: http://www.ilhadosnavegantes.com.br.

Taxi Aeroporto-Boa Viagem: R$27 (especial); R$14 (comum)

Sites interessantes:

http://www.caixacultural.com.br

http://www.artesanatodepernambuco.pe.gov.br/

http://www.itaipavaarenapernambuco.com.br/

IMG_5625

Turismo & Futebol – O que já sabemos e o que dá pra calcular para a compra dos ingressos da Copa?

Em junho deste ano eu e o Caetano aproveitamos bastante a Copa das Confederações assistindo a 6 jogos em 4 estádios, em Fortaleza, Salvador, Recife e Belo Horizonte. Tivemos um gostinho tanto das coisas boas de um evento deste porte quanto também vivenciamos várias oportunidades de melhoria que esperamos que sejam resolvidas até o ano que vem.
Agora estamos na ansiedade para o Mundial, esperando a FIFA liberar a compra dos ingressos. E depois de toda a experiência que adquirimos para a Copa das Confederações, o Caetano tem sido muito procurado pelos amigos e familiares para ajudar na compra destes famigerados ingressos. Pois bem, ele “dissecou” as informações disponíveis no momento e preparou um tratado onde explica, timtim por timtim, as possibilidades de compra, quem tem a chance de jogar contra quem, e onde o Brasil pode vir a jogar. Se prepare, o texto é longo, mas bem completo!

Copa do Mundo 2014

Ao contrário da Copa das Confederações, torneio que o Brasil ganhou mais uma vez em 2013, o evento do ano que vem é mais longo, mais caro e com a participação bem maior de turistas de outros países; traduzindo… assim como a Seleção terá que suar mais para ser campeã, a compra de ingressos também será bem mais difícil.

Sobre o preço dos ingressos…

Comparando com a Copa das Confederações, os ingressos estão bem mais salgados. Só para lembrar que a Categoria 1, nos jogos deste ano, custava em torno de R$250,00 e a final R$418,00.

IMG_6550

Sobre a posição das Cadeiras no estádio por Categoria do ingresso…

Foi uma das coisas que mais me aborreceram na Copa das Confederações, justamente porque não entendia a lógica utilizada pela FIFA. Na figura abaixo aparece o mapa da distribuição dos assentos por categoria. Dá para entender que o critério é explorar ao máximo as cadeiras da Categoria mais cara. Atenção, ao contrário da Copa das Confederações, quando podia-se comprar meia entrada em qualquer categoria de cadeira, na Copa do Mundo o divulgado até o momento é que a meia entrada ficará restrita a Categoria 4 (setor rosa), exceto para os maiores de 60 anos residentes no Brasil, que poderão comprar a meia para as categorias de 1 a 3.

IMG_6546

Sobre a escolha dos melhores jogos da etapa de grupos…

 Em 20 de Agosto deste ano a FIFA disponibiliza ingressos para venda. Mas, como escolher agora os melhores jogos, se as eliminatórias para a classificação das seleções estão em andamento e somente em Novembro conhece-se todas as participantes?

Com exceção do Brasil (Posição A1) ainda não dá para saber onde jogará cada uma das outras seleções; porém, devido ao sistema dirigido de sorteio que a FIFA utiliza é certo que as seleções mais fortes (Espanha, Alemanha, Itália, Argentina, Inglaterra, França etc….) serão Cabeças de Chave e ocuparão a posição 1 dos outros grupos restantes (de B a H). Portanto os jogos onde estarão envolvidos A1, B1, C1… até H1 serão os melhores. , principalmente aqueles onde se confrontam com o segundo escolhido: A2, B2, C2 até H2.

Exemplificando, dos 4 jogos, da etapa de classificação, programados para a Arena Fonte Nova os três primeiros têm mais chances de ser interessantes porque envolvem os cabeças de chave dos grupos B, G e E.

IMG_6548

Possibilidades dos caminhos da Seleção Brasileira…

Como Anfitrião o Brasil está na única posição já definida (Posição 1 do Grupo A) e já é possível traçar um caminho até uma possível final.

Na etapa de grupos o Brasil jogará no Itaquerão (SP), Castelão (CE) e no Mané Garrincha (DF) conforme quadro abaixo:

imageEm seguida, na hipótese de chegar entre as quatro finalistas, a Seleção poderá seguir duas trilhas nas etapas de Oitavas, Quartas e Semifinais: Se for primeira colocada no seu Grupo, jogará em BH, Fortaleza e retornará a BH. Caso seja 2º lugar no Grupo A, jogará em Fortaleza, Salvador e São Paulo. Está reservada a decisão do 3º lugar para Brasília e a grande Final acontecerá no Maracanã.

IMG_6549

A FIFA disponibiliza em seu site um pacote para acompanhar todos os jogos da sua seleção com garantia de devolução do valor dos ingressos que não ocorrerão por desclassificação.

Bom, o mais importante foi mostrado até aqui, se quiserem mais detalhes sigam as informações à seguir:

Distribuição de jogos pelas Arenas…

Na minha opinião podemos separar as arenas em 2 grupos de 6 estádios cada, por importância dos jogos que serão realizados nelas:

1)     Primeiro Bloco: Estádios onde ocorrem, na etapa de grupos, em cada um deles, três jogos das oito seleções cabeça de chave. Todos os jogos do Brasil, na corrida para a final, irão acontecer neles. Estes estádios irão abrigar também jogos de Oitavas, Quartas, Semifinais, a decisão de 3º lugar e a Final.

  • Maracanã (RJ): Palco de 7jogos: quatro na etapa de Grupos, uma partida de Oitavas, uma de Quartas e a grande Final. A Seleção Brasileira somente jogará aqui se fizer a final.
  • Mineirão (MG): Estádio onde acontecem 6 jogos: quatro na etapa de Grupos, uma partida de Oitavas e uma Semifinal. Não abrigará jogos do Brasil na etapa de grupos porém se o Brasil chegar em primeiro no seu grupo e for a semifinal, jogará a Oitava e a Semifinal no Mineirão.
  • Itaquerão (SP): Aqui, ocorrerão 6 jogos também, quatro na etapa de grupos, dentre eles acontece o jogo de Abertura do Mundial (1º jogo do Brasil); uma Oitava e uma Semifinal (possibilidade de ser Brasil se ele sair em segundo no seu grupo e passar nas Quartas em Salvador).
  • Castelão (CE): Dentro dos 4 jogos, da etapa de grupos, que ocorrem aqui, está garantida a segunda partida da Seleção Brasileira. Acontece também uma partida de Oitavas (pode ser o Brasil se ficar em segundo no seu grupo) e uma de Quartas (pode ser o Brasil se sair em primeiro no seu grupo e ganhar as Oitavas em BH)
  • Mané Garrincha (DF): Garantiu a terceira partida do Brasil no seu grupo e mais três jogos de outros grupos nesta etapa. Além disso está programado uma partida de Oitavas e uma de Quartas.
  • Fonte Nova (BA): Palco de 6 jogos: quatro na etapa de grupos, uma Oitava de final e uma Quarta de Final (possibilidade de jogo do Brasil caso ele saia em segundo no seu grupo e ganhe a Oitava em Fortaleza).

2)    Segundo Bloco: Estádios onde ocorrem apenas uma partida de Cabeça de Chave em cada sede. Em dois desses estádios irão acontecer jogos de Oitavas e não acontecerão partidas da Seleção Brasileira em nenhum deles.

  • Estádio Beira-Rio (RS) e Arena Pernambuco (PE): Em cada um deles acontecem 5 partidas, uma Oitava e 4 da etapa de grupos, sendo que apenas uma será de Cabeça de Chave.
  • Estádio das Dunas (RN), Arena Amazônia (AM), Arena Pantanal (MS) e Arena da Baixada (PR): Em cada um destes estádios acontecem apenas jogos da etapa de Grupos, com somente um jogo de Cabeça de Chave.

Tabelao

Atenção ao fato de que a FIFA está estudando uma tabela alternativa com jogos em apenas 10 ou 11 estádios apenas, caso seja necessário a eliminação de alguns estádios por apresentarem riscos de não estarem prontos em dezembro deste ano.

Distribuição das Seleções nos grupos…

A Copa do Mundo é disputada por todos os países membros da FIFA em eliminatórias distribuídas por regiões. No final 31 Países se classificam e junto com o Pais anfitrião disputam a etapa de classificação em oito grupos (A, B, C … H) com quatro participantes em cada um deles.

Caso a FIFA repita o modelo utilizado na Copa de 2010, os países serão distribuídos através dos grupos por sorteio, que é dirigido para evitar desequilíbrio de forças, evitando-se assim que as Seleções mais fortes caiam em um mesmo grupo. Este evento ocorrerá na Costa do Sauipe, em dezembro deste ano. Utilizarão 4 potes, no primeiro ficarão os sete países melhores pontuados no ranking da FIFA mais o pais anfitrião, os quais serão distribuídos por sorteio nas posições #1 dos grupos A até o H. Nos outros potes ficam os restantes dos países classificados, sendo que um pote contém as seleções da Ásia, América do Norte e Oceania, um outro com os países da África e América do Sul e o último com os países da Europa. Destes potes, através sorteio dirigido, vão sendo preenchidas as outras 24 posições, de tal forma que cada grupo contenha somente uma seleção de cada continente, com exceção do continente europeu onde é permitido no máximo duas seleções por grupo.

 Cada um destes potes representa a posição de 1 a 4 dos grupos e por sorteio as seleções são distribuídas nos Grupos.

Após os jogos de classificação, apenas as duas primeiras colocadas de cada grupo passam para a etapa de Mata Mata, com a realização dos jogos de Oitavas de Final, Quartas de Final, Semifinais, Decisão de 3º lugar e Final.

Situação das Eliminatórias e Classificados…

Hoje sabe-se que estão classificados: Japão, Austrália, Coréia do Sul e Irã e que o Brasil (5 taças) como anfitrião estará posicionado na posição 1 da chave A (A1). Pela pontuação em seus grupos da eliminatória já é quase certa a participação de: Itália (4), Alemanha (3), Argentina (2), Inglaterra (1), Espanha (1), Holanda e Rússia, e muito provavelmente serão distribuídas por sorteio nas posições B1 até H1. As seleções de: França (1), Portugal, Bélgica, Croácia, Suíça, Colômbia, Equador e Chile tem boas chances de classificação e provavelmente ficarão distribuídos nas posições A2 até H2. As seleções restantes serão posicionados por sorteio nas posições A3 até H4. Portanto, das campeãs mundiais somente a seleção do Uruguai (2) corre o risco de não se classificar e esta copa poderá ser uma das mais disputadas da história.

IMG_6551

Uma visita ao Palacete das Artes, em Salvador

Uma visita ao Palacete das Artes, em Salvador

Semana passada fomos ao Palacete das Artes nos despedir da exposição de Rodin e conferir a mostra sobre Modigliani, que está em Salvador até o dia 11 de Novembro.

O Palacete das Artes antigamente sediava a Secretaria de Educação do Estado, onde estive uma vez com minha mãe resolvendo um problema relativo a um diploma na família. Saí impressionada com o prédio, e fiquei muito feliz quando foi reaberto como museu. O lugar é lindo, vale demais a visita, que pelo menos por enquanto é gratuita. Vamos aproveitar, gente!

Fachada do Palacete das Artes, na Graça

O Palacete das Artes hoje é composto por duas construções – a casa original, de uma família tradicional da história da Bahia, e um prédio todo modernoso de linhas retas ao fundo. Os prédios são conectados por uma passarela, mas das vezes que estive lá ela não estava liberada para acesso.

O Palacete, outro ângulo

Desta vez no Palacete, marcamos um horário que permitisse uma parada estratégica para almoçar no Solar Café, excelente opção para qualquer hora do dia – tem crepes, risotos, massas, um cardápio dinâmico e interessante.  Mesmo que não programe o almoço, vale curtir uns minutinhos saboreando um cafezinho que seja… o lugar é muito alto astral!

O Solar Café, no prédio novo – vale programar uma parada para almoço!

E agora, gente? Qual a melhor atração a saborear?

Depois de bem almoçados e de saborearmos um crepe suzette muito do bom, visitamos a exposição  Modigliani – Imagens de uma vida, que já esteve no Rio e São Paulo e agora visita a Bahia. A exposição é muito bonita – além de apresentar a vida do artista, apresenta originais preciosos de pintura e escultura e itens pessoais como correspondências e postais, além de obras de outros pintores da mesma época. Nem precisa falar que vale demais a visita, né?

Além de rica, a exposição está muito bonita

O museu também tem uma lojinha com livros de arte da cultura local, de exposições que já passaram pelo Palacete e algumas lembranças interessantes, inclusive alguns itens relacionados a Jorge Amado, bons para presente.

Acho o Palacete um excelente lugar para uma desacelerada num dia de turistagem, ou para os baianos residentes lembrarem um pouco da própria história, potencial e riqueza local.

Para saber mais do Palacete das Artes, acesse http://www.palacetedasartes.ba.gov.br/

Sobre o Solar Café, acesse  http://solar-cafe.blogspot.com.br/.  Há um Solar Café também no Solar do Unhão, onde se desfruta um maravilhoso pôr-do-sol!

Homem que anda sobre a coluna, de Rodin, 1877

A exposição de Rodin está no Palacete até o dia 31 deste mês. O casarão passará por pequenas reformas para receber novas exposições em breve. A visitação é gratuita e funciona de terças às sextas-feiras, das 13 às 19h; sábados, domingos e feriados, das 14 às 19h.

Turismo Esportivo – enquanto a Copa não chega… vamos checando as obras da Arena Fonte Nova

Turismo Esportivo – enquanto a Copa não chega… vamos checando as obras da Arena Fonte Nova

Enquanto os próximos eventos esportivos mundiais que vão movimentar o país não chegam, Salvador vai vivendo o clima de expectativa pré-Copas – e para mim nada representa mais essa contagem regressiva do que acompanhar as obras da Arena Fonte Nova, o principal estádio da cidade.

A Fonte Nova (nome de batismo ;-) : Estádio Octávio Mangabeira) nasceu em 1951 e fechou as portas em 2007, quando uma parte da arquibancada desabou, resultando na interdição do Estádio. Após um período fechada, ela foi demolida em 2010, quando começaram as obras para a Arena Fonte Nova, que devem terminar no primeiro semestre de 2013. Falta pouco!

Dá pra conhecer um pouco do projeto e acompanhar as obras no Centro de Visitantes, próximo à construção, com uma apresentação das promotoras que trabalham neste espaço e assistindo aos videos e simulações nas TVs instaladas no local. É um espaço pequeno, localizado em um prédio próximo à obra, atrás da Tribuna de Honra, mas para quem curte futebol ou essa parte da história da cidade, vale a visita.

Ao entrar no espaço,  você vê a maquete da Arena, relembra grandes momentos da Fonte Nova e conhece a sua proposta de utilização – uma arena multiuso para shows e os mais diversos eventos, além de Camarotes e restaurantes de frente para o Dique do Tororó. Como na Fonte Nova original, o formato de ferradura será preservado, garantindo uma linda vista pra quem está dentro do estádio e também para quem está de fora, podendo checar o movimento e agitação da Arena, à distância.

Janelão para as obras em Março/2012

Passando para o ambiente seguinte, há um janelão de onde dá para acompanhar o desenrolar da obra, e uma lojinha onde é possível comprar lembranças relacionadas à nova Arena.

Vista do Janelão em Setembro/2012

Em parceria com o Projeto Axé, há um trabalho de reaproveitamento do fardamento dos empregados da obra, que dão origem a sacolas e porta-trecos estilizados. Tudo muito bonito. E, no melhor estilo “lembrança do muro de Berlim”, na lojinha do Centro de Visitantes também dá pra comprar um pedacinho da antiga Fonte Nova e guardar em casa como recordação. A renda é revertida para as obras de caridade Irmã Dulce.

O site da Arena Fonte Nova (www.arenafontenova.com.br) possui muitas informações interessantes sobre a história do Estádio e o seu futuro, além de conhecer mais sobre o projeto e ter acesso à prestação de contas do Consórcio responsável pela obra. Através de uma série de fotos aéreas é possível acompanhar a obra através de fotos agrupadas de semana em semana, desde janeiro de 2011.

O Centro de Visitantes funciona de quinta a domingo, de 09h às 16h. É um bom programa para a família no fim de semana! A entrada custa R$6,00 a inteira, e R$3,00 a meia. Crianças até 12 anos e adultos acima de 60 anos não pagam.  O link para o centro de visitantes você pode acessar aqui.

No momento, de 13 estágios de construção, a obra se encontra no estágio 8, quando estão sendo instalados os pilares de sustentação do teto que garantirá a cobertura de 100% dos assentos. A estrutura é sustentável e autolimpante, com sistemas de reaproveitamento de água de chuva. O projeto da Arena Fonte Nova foi inspirado na Amsterdam Arena e na AWD Arena, em Hannover.

Vista do Estacionamento do Dique do Tororó – quase pronta!

Oktoberfest – o Carnaval de Munique

Oktoberfest – o Carnaval de Munique

Era uma vez um rei na Baviera, chamado Luís. Ele estava prestes a casar e adorava uma festa. Para comemorar o casamento, resolveu fazer uma corrida de cavalos num parque distante do centro da cidade, onde todos os membros da família real, reinos vizinhos e suas plebes poderiam estar presentes e curtir o espetáculo.

Sendo na Bavária, a corrida foi regada a muita cerveja, salsichões, chucrutes, joelhos de porco assados e ensopados de marreco. A festa foi tão boa que o rei resolveu repetir a dose (só da festa, não do casamento) no ano seguinte. E assim é desde 1810. Esta foi a primeira Oktoberfest. A história com todos os detalhes está aqui.

Até hoje o evento acontece no mesmo lugar, o parque Theresienwiese, que tem esse nome por causa da noiva, a princesa Teresa de Saxe-Hildburghausen. A Corrida de Cavalos foi abolida no início do século 20, mas a cerveja, como todos sabem, continua firme e forte.

Em 2010,  lá fomos eu e o Caetano conferir a 200a. edição da Oktoberfest, devidamente acompanhados do Klaus, nosso amigo e cicerone – fomos de ônibus, o parque Theresienwiese é bem servido de transporte e hoje ocupa uma área central da cidade. A festa funciona das 10h da manhã às 23h, impreterivelmente. Nós chegamos lá ao anoitecer, por volta das 18h. Para entrar na festa ou nas tendas, você não paga nada. Paga apenas quando for consumir , antecipado.

Chegando lá e vendo a estrutura da festa, concluímos que na verdade a Oktoberfest tem características de uma gigantesca quermesse. Tem um parque enorme com brinquedos para todas as idades – o mais antigo, um tobogã (com esse nome mesmo!) está lá, triunfante e muito procurado!

O nome, em alemão, é Tobogan mesmo! O avô de todos os escorregadores que você conhece

E tem as barraquinhas – de doces, amêndoas, salgados, bebidas diversas (até caipirinha vimos), de lembrancinhas e de jogos, como em qualquer boa feira de interior, só que bem mais sofisticadas.

Lojinha de guloseimas da quermesse que é a Oktoberfest

Como nosso interesse era em conhecer as tendas e tomar umas, fomos direto a elas. Há tendas de todos os tamanhos – umas vinte de menor porte e as maiores, que são em torno de doze, têm capacidade de até oito mil pessoas. Gente, isso é mais que os blocos de carnaval de Salvador comportam! 8-O

Chegando nas tendas, nós turistas olhamos de fora e tendemos a achar que é tudo igual, claro. Mas, continuando a analogia com o Carnaval de Salvador, cada tenda tem um atração musical diferente, um público diferente, uma animação característica. Pedi ajuda ao Klaus para me explicar o que cada uma tinha de especial. Seguem suas considerações:

A tenda tradicional (e a melhor, em sua opinião): Augustiner. Tem música da Bavária, é onde os locais também curtem a festa, a cerveja é ótima. Dá gente de todas as idades.

As tendas da balada: Schottenhamel, Hacker e Bräurosl. Nesta última há uma festa GLS no primeiro domingo do Festival.

As tendas turística: Hofbräu, Löwenbräu – são as cervejarias mais frequentadas ao longo do ano pelos turistas, também.

Ele destaca uma atração que considera muito especial e que está há mais de 100 anos na festa, que é o “Teufelsrad”, ou “Devil Wheel” – uma roda giratória onde as pessoas fazem performances diversas. Dê uma olhada neste link da Teufelsrad, parece ser bem interessante de assistir. Eu não estive lá, mas da próxima vez não perco, deve render boas risadas. Dá uma olhada no videozinho:

http://www.youtube.com/watch?v=51d2cRnyVyY&feature=related

Circulamos por algumas tendas, antes de nos fixarmos na Augustiner, a preferida do nosso cicerone. Estava lotada, mas como nosso amigo já tinha aproveitado a festa outros dias, já tinha estabelecido conexões na tenda, e conseguiu um lugarzinho em uma mesa para nós. As mesas nas tendas não são exclusivas, a não ser que você chegue cedo e com dez amigos. Mas isso não é problema, muito pelo contrário: os demais ocupantes da mesa te recebem muito bem, e rapidinho éramos todos amigos de infância! E depois de um pouquinho de conversa, um suiço já estava contando para o Caetano o tanto que tinha adorado o Rio de Janeiro e a alemã do meu lado se esforçava em me ensinar umas dancinhas.

A turma animada da nossa mesa

Sim, porque lá também há musicas-hit e coreografias! Acabamos aprendendo uma uma muito engraçada sobre um cara que tomava algo que o deixava super forte, forte e nadava, nadava e voava, voava… e a música tocando e a tenda inteira na dancinha. O video abaixo não é meu, mas ajuda a ter uma idéia do que estou falando.

Sobre as principais músicas que tocam na Oktoberfest, achei esse link. Mas não é só de música da Bavária que vive a festa – no repertório há os sucessos dos anos 80 e 90, passando por Queen (We are the Champions… We will rock you…) até Justin Timberlake – muito pop e rock na festa.

O evento mobiliza toda a Bavária, que aproveita as semanas para organizar eventos paralelos (quando eu fui, também acontecia um campeonato de golfe), além de empresas que também aproveitam o período para promover seus eventos próprios e convenções. Hospedagem é algo muuuuito complicado nessa época, e muito caro.

A festa é muito organizada. Tem uma administração própria, tem guarda-volumes, tem banheiros limpíssimos (foto pra comprovar!).

Banheiro da Oktoberfest, tarde da noite!

Banheiro da Oktoberfest, tarde da noite

Ao final de um dia de festa, o cenário na tenda é de caos total. Mas não demora muito e a turma da limpeza já deixa tudo em ordem.

Esta é uma tentativa de explicar um pouco do que é a Oktoberfest, traduzir a festa em palavras é impossível. A festa termina em Outubro, no primeiro domingo do mês. Parece bobagem lembrar isso, mas é bom aproveitar a festa em Setembro, quando ela está no início. Me inscrevi no site Oktoberfest.de para poder acompanhar os detalhes da festa, que não são poucos. Este ano, o site começou a enviar informações em maio, com dicas de hospedagem ainda com preços normais. Em 2010, ao tentar agendar com 2 meses de antecedência, não achei hospedagem por menos de 130 euros. Na mesma época, hostels começavam suas diárias em 40 euros por pessoa.

Curiosidades da Oktoberfest:

- São 6 milhões de pessoas que frequentam a festa, por ano, que dura aproximadamente 2 semanas.

- Os alemães não chamam a festa de Oktoberfest, e sim de Wiesn, um apelido simpático para o nome do parque onde a festa acontece. Assim se quiser dar uma de habitué, já sabe… Oktober é pra turistada.

- Só cervejarias originais da região podem participar da Oktoberfest.

- Durante a festa, Munique é invadida por italianos, por quem os locais nutrem sentimentos hiperlativos e opostos (ou amam ou odeiam a presença deles na cidade).

- Leve dinheiro, tudo é pago em cash. O preço da cerveja é meio que tabelado, com pequenas variações, e gira em torno de 9 euros. Considere logo 10 euros, com a gorjeta, para ser bem servido durante todo o período que estiver lá!

E se inscreva no http://www.oktoberfest.de/en, para saber dos detalhes para 2013!

*Esta viagem foi feita em Setembro/Outubro de 2010. Estivemos em Munique, Schwangau, Neuschwanstein, Rothemburg ob der Tauber e Berlim. Fizemos este circuito em 12 dias.